quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Atualização da caderneta de vacinação



Fique atento:
 este final de semana tem vacinação infantil. Entre os dias 18 e 24 de agosto acontece a Campanha Nacional para Atualização da Caderneta de Vacinação. O objetivo é melhorar a cobertura vacinal das crianças de 0 a 5 anos.

E há algumas novidades! Além das vacinas já oferecidas aos pequeninos, também foram incluídas ao calendário básico a pentavalente e a Vacina Inativada Poliomielite. As crianças menores de 5 anos que residem nas regiões Norte, Nordeste dos vales do Jequitinhonha e Murici em Minas Gerais também receberão megadoses de vitamina “A”. Essa medida integra o Programa Brasil Carinhoso, lançado em maio deste ano, e tem como meta a superação da extrema pobreza na primeira infância.

Durante a coletiva para anúncio da campanha, que aconteceu na manhã desta terça-feira (14), o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, afirmou que a ação vai permitir reduzir as taxas de abandono do esquema vacinal. “Melhorar a cobertura vacinal das crianças significa diminuir o risco de transmissão das doenças que podem ser evitadas”.

O dia “D” da campanha de vacinação acontece nesse sábado (18) e os responsáveis pelas crianças devem levá-las a um posto de vacinação do Sistema Único de Saúde (SUS) para que a caderneta de saúde seja avaliada e, se necessário, atualizada. Quem perdeu ou esqueceu o cartão de vacinação também deve ir ao posto de vacinação, ou seja, não tem desculpa. As vacinas disponíveis são a BCG, hepatite B, pentavalente, Vacina Inativada Poliomielite (VIP), Vacina Oral Poliomielite, rotavírus, pmeumocócica 10 valente, meningocícica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche).

O representante da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), Joaquim Molina, afirmou durante a coletiva que o país ocupa lugar de vanguarda entre os países da América Latina. “O Brasil tem o maior programa vacinal deste continente”, declarou Molina.

Pentavalente – A vacina pentavalente é injetável e reúne, em uma única aplicação, a proteção de duas vacinas distintas: a tetravalente – que deixará de ser ofertada e protege contra a difteria, tétano, coqueluche e Haemophilus influenzae tipo b (meningite e outras doenças bacterianas) e a vacina contra hepatite B.

A pentavalente será administrada aos 2, aos 4 e aos 6 meses de vida. Além dessa vacina, a criança também manterá os dois reforços com a DTP.

Pólio Inativada – A partir de agora, as crianças que nunca foram imunizadas contra a paralisia infantil vão receber a primeira dose aos 2 meses de vida e a segunda aos 4 meses. A segunda dose será dada aos 4 meses, junto com a vacina poliomielite inativada injetável. Já a terceira dose (aos 6 meses) e o reforço (aos 15 meses) continuam como vacina oral, ou seja, em duas gotinhas.

Enquanto a pólio não for erradicada no mundo, o Ministério da Saúde vai continuar a utilizar a vacina oral poliomielite (VOP), porque ainda existem países endêmicos da doença (Nigéria, Afeganistão e Paquistão). O Brasil já está se preparando para utilizar apenas a vacina inativada quando ocorrer a erradicação da doença no mundo. Para isso será criada a vacina heptavalente – uma união da VIP será incluída na pentavalente, junto com a vacina meningocócica C. Os laboratórios Bio-Manguinhos, Butantan e Fundação Ezequiel Dias (FUNED) já estão desenvolvendo este projeto. A previsão é de que esta vacina esteja disponível no Programa Nacional de Imunizações daqui a quatro ou cinco anos.

Vitamina A – Para repor as deficiências nutricionais em crianças de 6 meses a 5 anos, o Ministério da Saúde vai disponibilizar megadoses de vitamina A. A estratégia faz parte da Ação Brasil Carinhoso e a mobilização também vai acontecer no próximo sábado (18).

A suplementação contribui para reduzir a gravidade das infecções, diminui a mortalidade infantil e contribui para a saúde da visão e do pleno desenvolvimento congnitivo. As crianças devem receber duas doses anuais (não injetáveis), uma a cada seis meses.

Para a campanha, serão priorizados os estados das regiões Norte, Nordeste e as cidades mineiras do Vale do Mucuri e Vale do Jequitinhonha. Ao todo serão 2.434 municípios que receberão as doses da suplementação. Até o final do ano, todas as demais regiões do país também vão receber as megadoses. Serão incluídos todos os municípios prioritários do Plano Brasil Sem Miséria, além dos 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI).


Fonte: Ilana Paiva / Blog da Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário, sua idéia e se desejar seu contato.